sexta-feira, 28 de maio de 2010

Mississipi e Louisiana

Ok, pessoas estão me perguntando sobre o resumo da minha viagem pro Mississippi e Louisiana com a minha Host Family desde segunda-feira. Então aqui, depois de todo esse tempo, vai o resuminho básico.
Saímos de Washington na quarta-feira cedinho, acordei as 3:30, para acordar os meninos as 4h e saímos as 5h. A viagem foi longa, o avião parou em Atlanta, e ai seguiu para New Orleans. No aeroporto pegamos um carro alugado, e que carro! Super espaçoso, ótimo para pessoas com pernas longas, como eu, passarem horas lá dentro, exatamente como fizemos, viajando para todos os lados. Saimos de New Orleans, atravessamos o imenso rio Mississipi, e chegamos na chácara da avó da Melissa. Uma senhora super fofa, que não gosta da cor do cabelo da Melissa (comentário que refletiu em mim, por ter a memsa cor de cabelo que ela) e que falava pra eu não ficar triste quando a Melissa era meio rude. Hehe. Adorei a vó. Colhi blueberries e li bastante. Me sentia na chácara do meu avô, mas lá eu colhia bergamotas, ou pêssegos e ameixas.  Os meninos gostaram de dar comida para um bode chamado Budd e ver se tinha ovo la nas galinhas (que era o que eu gostava de fazer na chácara do meu outro avô quando eu era criança). Tive até uns bons momentos lá, tinham duas cadeiras ‘namoradeiras’ na varanda da casa, ficava la sentada conversando com a Melissa, ou lendo.
Saíamos para comer quase sempre, passei fome de manhã pois só tinha um cereal que eu não gosto… Acontece, né? Fomos em um restaurante muito fofo, que aparenta ser um lugar onde o povo vai no verão, na falta de praia. Tem lá um espaço com areia de praia, cadeiras e uma rede para volei, pedalinhos e escorregador que leva pra dentro do lago. A comida deliciosa e lá eu finalmente comi o tal do Catfish que a minha irmã tanto falava. No dia seguinte não jantamos (serio que passei fome!), fomos assistir um jogo de baseball de um menino de cinco anos e depois fomos pra casa. O menino de cinco anos é primo do Aiden e do Trey e ele fala mais gíria do que os adolescentes que eu escuto conversarem aqui em DC. Me deu uma agonia escutar aquela criança falando “hey dude, that’s awesome!!!” o tempo todo. No dia seguinte fomos então visitar a Nasa. Vimos os lugares de onde os foguetes saem (altas construções complexas), onde os foguetes são feitos. Eu estava sem máquina fotográfica, então as fotos que tirei não ficaram boas, ainda porque, para ver esses lugares, fomos de ônibus. Onibus que eu, carinhosamente, apelidei de onibus espacial. Só para dar mais emoção. Depois fomos em um museu. Lá tinha as máquinas que usaram, na minha opinião, na fake ida à Lua. É um lugar super interessante, tem amostras de foguetes por dentro, banheiros e cozinhas que têm dentro das naves, e no quarto o cara dorme de pé. O que tanto faz, já que sem a gravidade eles nem devem saber quando estão de ponta cabeça…

New Orleans é uma cidade incrível! Fecha os olhos e se escuta Jazz, abre os olhos e se vê na França. Depois dessa viagem comecei a entender 100% o filme da Princesa e o Sapo.
Ficamos num hotel Marriott, pertinho de tudo! Quando as crianças iam dormir a noite, eu fugia para a cidade. Para o tour que não era possível de fazer com as praguinhas na minha volta. Passei por brasileiros nas duas vezes que saí sozinha (acho que o mesmo grupo), mas não cheguei a me declarar brasileira para eles. Comprei umas coisinhas, claro! E ainda enrolei uma mulher e comprei uma bolsa de 19 dolares por apenas 14. Eu tinha adorado a bolsa, então ia de loja em loja para ver se achava ela mais baratinha. Consegui! Passava na frente dos cafés fofeticos da França e escutava uma banda de Jazz lá dentro tocando. Eu tava vendo no guia da cidade que tinha no meu quarto do hotel que é a cidade número um sobre músicas ao vivo, ou seja, cidade nos EUA que tem mais música ao vivo em bares e tals. Realmente, só vi isso lá. Na sexta-feira era aniversário de 80 anso da avó da Melissa, então fomos em um restaurante chiquerrimo, francês, que eu nem entendia direito o que tinha no cardápio de tão complexa que a coisa era, sem ter vontade de comer algo exótico demais (escargot) pedi uma massa com camarão e um molho de só os franceses sabem o que, detalhe‘e que não curto muito camarão. Para esse jantar eu me arrumei toda, não queria a Melissa me olhando feio por não ter roupa para usar lá. Comprei um vestidinho fofo da Calvin Klein e fui confiante, simples, mas com classe, foi como eu me senti. Hahahahaha. Depois desse jantar, uma charrete nos esperava do lado de fora do restaurante e nos levou para um tour noturno pela a cidade. Muito lindo! Mas de novo, por ser a noite, as fotos fiacre uma porcaria. :-(
No sabado fomos num festa de aniversário na casa de uma prima da Melissa, muita parented deles lá. No brasil essas coisas são commemorates com churrasco e cerveja, lá a coisa era diferente, video-game para as crianças, baseball na tv para os adultos e uma espécie de carreteiro (que eu tenho certeza de que não foi feito com as sobras do churrasco do dia anterior!!) e almondegas. Depois um bolo chique com sorvete de creme de sobremesa. A avó da Melissa ficou empurrando um cara, Erick o nome dele, que tem a minha idade, pra ir falar comigo (já que eu passava mais tempo no quarto com o Trey, assistindo iCarly ou Bob Esponja do que falando com alguém naquela sala), e o coitado só queria ir pro quarto dele jogar play station 3. Quando a mulher finalmente conseguiu que ele sentasse do meu lado para conversarmos, a Melissa nos chamou para irmos embora (thanks God!). O cara era meio estranho…

Se alguém quer conhecer New Oleans e não pode, assista o filme da Princesa e o Sapo, da Disney. Fala muito mesmo sobre a cidade.

Beijos e queijos pra vocês =)

Fotos!

Uma das 'namoradeiras' na frente da casa. Trey e a avó dele.

Restaurante onde fomos e comemos Catfish.
Coelho chifrudo no restaurante


Vista do restaurante para o lago.

A noite em New Orleans.

Me arrumando para o jantar.

No passeio de 'charrete'

Café da manhã no Café du Monde, comendo o que aqui eles chamam de bagle francês, que minha irmã chama de bolinho de chuva diferente e que realmente se chama Beignet, é o que a menina do filme do sapo faz no café onde ela trabalha. Tenho que reassistir o filme pra ver se o café que ela constroe é pra ser esse ai.

Aiden na piscina do hotel.
Trey, depois da piscina.

2 comentários:

Anônimo disse...

Adorei, gatinha!
Muitas saudades! Beijos e me liga!
Jere

Caroline disse...

UAU!!!
Q td!!!
Adorei!! Agora quero ir tbm
hahaha